Importância da imunização: vacinação correta evita doenças que podem levar pets à morte

Desde filhotes, cães e gatos precisam ser imunizados. Conheça o protocolo correto de vacinação em animais

Assim como para os seres humanos, a vacinação é imprescindível para os animais e contribui para a prevenção de uma série de enfermidades que podem levar à morte. Por isso, é recomendado que as vacinações sejam programadas com orientação médica e de acordo com o tempo de vida do animal.

Como em crianças, a vacinação em filhotes é mais constante, porém deve ser mantida na vida adulta.  Os animais recém-nascidos devem receber, normalmente, três doses de vacinas com intervalo de 21 a 30 dias. “Iniciamos as aplicações com 45 a 60 dias de idade e terminamos esse primeiro ciclo com quatro a cinco meses. Isso vale tanto para cães como para gatos”, conta Marcelo Quinzani, diretor clínico do Pet Care.

Os animais adultos devem receber anualmente entre três e quatro tipos de vacinas. Para cães, as mais importantes são: Polivalente (V10 ou V8), que atua como auxiliar na prevenção contra Cinomose, Hepatite Infecciosa Canina, Adenovírus Canino Tipo 2, Coronavírus Canino, Parainfluenza Canina, Parvovírus Canino e Leptospirose Canina; Gripe canina (Bordetella); a Antirrábica; Contra Giárdia; contra Leishmaniose; e contra Leptopirose avaliamos o tipo de exposiçao que cada animal tem para averiguarmos a necessidade destas vacinas. Já para os gatos são:Polivalente (Tríplice ou Quadrupla), que atuam na prevenção de doenças como Panleucopenia, Rinotraqueíte, Calicivirose e Clamidiose; e Antirrábica.

“As vacinas aplicadas dependerão do local onde vive o animal. Animais de apartamentos estão menos expostos a doenças e animais de casa ou mesmo de algumas regiões do Brasil estão expostos a outras doenças mais específicas. Quem vai decidir quais vacinas ele deve receber é o médico veterinário”, orienta Quinzani.

Segundo o diretor do Pet Care, em alguns casos a vacinação pode acarretar reações de hipersensibilidade. “A maioria dos animais podem apresentar dor local e algumas vezes uma pequena febre decorrente das vacinais. Outros podem apresentar reações alérgicas. Porém, somente uma porcentagem pequena de cães e gatos apresenta esse tipo de reação e por isso o procedimento da vacinação é um ato seguro e realizado sem riscos na grande maioria dos animais domésticos”.