Abandono : triste fim dos animais causada pela pandemia

Abandono : triste fim dos animais causada pela pandemia

É triste andar pelas ruas e constatar que o abandono dos inúmeros animais de estimação. Porque tamanho abandono daqueles que são os nossos melhores amigos e nos trazem tantas alegrias?

Chamado de “Epidemia do Abandono”, os motivos são os mais variados durante esse período sombrio de pandemia.

Apesar do abandono de animais ser crime, previsto em Lei, isso não impede as pessoas de simplesmente  “largá-los” nas ruas, nas estradas e nas praças. Ou, muitas vezes são deixados em frente as ONGs de adoção que pouca condição tem de abriga-los.

Embora cientes da situação, as autoridades municipais só recolhem animais que apresentam riscos para a saúde pública. Habitualmente, esse acolhimento é realizado por ONGs. Hoje, sobrecarregadas de trabalho. 

O que está acontecendo?

As ONGs especializadas estimam que o abandono cresceu cinco vezes nesses últimos meses. As razões deste aumento são as mais diversas e, também, as mais tristes. Em muitos casos são motivos reais. Mas, também temos visto o lado cruel de alguns seres humanos.

Entre os motivos de abandono está a situação daqueles que perderam seus empregos.  Sendo assim, por força de corte de gastos tem abandonado seus companheiros nas vias públicas. Algumas dessas pessoas perderam suas moradias e foram forçados a morar de favor com parente. Em suma, abandonam seus animais.

Igualmente triste, são donos de animais que faleceram devido a COVID-19. As famílias preferem “descartar” o que entendem como um “problema”, o animal de companhia.

Ainda, tem aqueles que adotaram cães abandonados e agora fazem de tudo para devolve-los, seja raça definida ou não. Aliás, antes da pandemia raramente via-se cachorros não vira-latas nas ruas, nos abrigos ou nas ONGs. Até isso mudou!

Sobretudo, a lamentável disseminação de notícias que animais de estimação são um perigo no contágio do coronavírus. O fato é que não há comprovação científica de que os animais de estimação possam ser fonte de contaminação.

Ou seja, sabe-se de animais que contraíram a doença dos  humanos. Ao contrário, de animais para humanos não há evidências. Em caso de alguém com sintomas ou diagnóstico positivo para o coronavírus, recomenda-se afastar-se, evitar tocar, beijar, espirrar e tossir perto do animal.

>>> Quer aprender a fazer biscoitos nutritivos e saudáveis? Clique aqui


Deixar em abrigos ou nas  ONGs é o mesmo de abandono?

Muitas pessoas entendem que deixar os cachorros nos abrigos ou nas ONGs não significa. Será?

Muitas ONGs recebem os animais porque sabem que o seu destino será ainda mais trágico nas ruas ou nas mãos dos próprios donos. No entanto, não é fácil para o animal! Nos abrigos precisam brigar por espaço, comida (muitas vezes escassas) e atenção.

Como são seres com capacidade de “sentir”, o abandono pela família pode gerar traumas. Muitos morrem de depressão, não conseguem se alimentar, envolvem-se em brigas ou morrem por doenças contraídas de outros cães.

Por outro lado, sabemos que o abandono na rua promove danos à saúde pública.  Pois, acarreta aumento nos casos de raiva, leishmaniose, esporotricose, verminoses, e outras. 

Além disso, como muitos não são castrados, consequentemente, há um aumento na população dos animais. Sem falar em brigas entre os animais, mordidas em pessoas e acidentes no trânsito.

Da mesma forma, abandonar seu animal seja nas ONGs ou na vias públicas é um fim cruel para aqueles que, muitas vezes, são os companheiros para uma vida.

Fonte: BBC Brasil